3.jpg

       2020 começou com uma reportagem fotográfica pela luta contra o desperdício alimentar.

 

Comecei o ano com a realização de um projecto foto-jornalístico a fim de participar num concurso de fotografia. O meu objetivo não era ganhar, mas sim propor-me ao desafio de fazer acontecer e de poder contribuir para a divulgação de boas ideias e práticas que nos ajudem a construir um mundo melhor, num futuro sustentável.

 

O tema do concurso fotográfico era mesmo esse "Mundo com Futuro" e qual o meu espanto quando percebo que poucos dias antes de saber do concurso, tinha sabido da existência de um projeto chamado: Fruta Feia. Daquelas coincidências que parecem encaixar no alinhamento das estrelas.

 

A Fruta Feia já existe desde 2013 e logo desde o início contou com fieis parceiros e associados. Contactei-os e apesar do curto prazo que eu tinha para levar a cabo a reportagem fotográfica, a Fruta Feia aceitou o desafio e deu-me a oportunidade de passar um dia inteiro com uma das suas equipas: desde a recolha nos agricultores, até à entrega das cestas com fruta e vegetais às centenas de associados.

 

Durante a manhã, o Bruno e a Inês fizeram a volta pelos agricultores da Fruta Feia para recolher a fruta e vegetais que por questões estéticas ou de tamanho não preenchem os requisitos das superfícies comerciais e que por isso são rejeitadas. Até há pouco tempo era forte a probabilidade de estas frutas e vegetais acabarem no lixo por não servirem esses critérios, mas felizmente isso está a mudar graças a projetos de combate ao desperdício alimentar como é exemplo, a Fruta Feia.

 

Em cada um dos agricultores que visitámos, o que eu vi foram frutas e vegetais frescos, de especto delicioso e de grande qualidade. Vi gentes do nosso norte com mãos de trabalho árduo e vidas inteiras dedicadas à agricultura. Vi uma honestidade arrebatadora no empenho e dedicação destas pessoas, às suas culturas e às suas terras.

Várias vezes durante a manhã a Inês e o Bruno mencionaram a importância dos seus voluntários para a existência da Fruta Feia e logo após o almoço tive a oportunidade de conhecer alguns deles. Estes voluntários são pessoas que regularmente abdicam de horas das suas vidas para contribuir de forma altruísta em prol dos outros e em prol do ambiente.

 

É na chegada desses voluntários que a maior magia acontece e as cestas começam a ser preparadas. Falo de um grande esforço físico, que exige um trabalho em equipa exemplar. Uma tonelada de frutas e vegetais são retiradas da carrinha, transportadas até à cave do Centro Comercial de Cedofeita e ali são triadas, separadas e pesadas para as cestas. Cada um destes voluntários sabe exatamente a sua função e a "linha" de montagem que organizam entre si é deveras impressionante e eficaz.

 

O trabalho voluntário destas pessoas, passa bem a mensagem de tudo o que simboliza a Fruta Feia: união em prol de um mundo mais equilibrado, harmonioso e saudável.

2.jpg

Existem no mundo 800 milhões de seres humanos que todos os dias passam fome e todos os dias, 1,3 biliões de comida acabam no lixo. Biliões que dariam para alimentar 2 vezes esses 800 milhões de pessoas a passar fome.

 

Segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura, se o Desperdício Alimentar a nível mundial fosse um país, seria o terceiro emissor de gases de efeito de estufa a contribuir para o aquecimento global.

 

Como sociedade, ajudámos a criar estes padrões de comportamento e contribuímos ativamente para a consagração destes critérios estéticos, que tanta comida levam ao lixo. Cabe-nos agora, a nós, quebrar com estes antecedentes, criar novas visões para o futuro e apoiar e incentivar mudanças de comportamentos que levem a hábitos saudáveis e sustentáveis. Felizmente é mesmo isso que está a acontecer e fico muito orgulhosa e emocionada por perceber que são tantos, os que lutam por este Mundo com Futuro.

 

Obrigada a todos.

blog fruta feia-131.jpg